Produtos Veículos
ORÇAMENTO0 produtos

Notícias automotivas


COMPARTILHE

QR Code

Visualize em seu smartphone, tablet ou dispositivo móvel com a leitura do QR Code.


Dúvidas? Entre em Contato

VEJA COMO EVITAR DORES DE CABEÇA COM O AR-CONDICIONADO

T- T T+

Texto e Fotos: Rafaela Borges

O mês de janeiro, além de um tradicional período de férias, marca também o auge do verão nacional, quando os termômetros, em algumas regiões, chegam a marcar 40ºC. Trata-se de uma época em que as pessoas costumam viajar para cidades litorâneas e usar e abusar de piscinas e bebidas geladas. Entretanto, são muitos os que passam longo tempo dentro de automóveis, seja nas grandes capitais ou nos passeios de férias. E, para enfrentar as altas temperaturas, nenhum item do veículo é mais importante do que o ar-condicionado. Não pense no ar-condicionado do seu veículo apenas na hora que você precisa dele, procure resolver estes problemas mesmo em época de inverno.

Para evitar surpresas no funcionamento do equipamento, assim como odores desagradáveis e bactérias geradas pelo mau uso do mesmo, o proprietário do veículo deve ficar atento a alguns detalhes. Conversamos com três oficinas especializadas em ar-condicionado automotivo, todas em São Paulo (SP), para saber qual a melhor maneira de manter o carro sempre bem refrigerado. Segundo Cláudio Cardoso, gerente da Auto-Life, na Barra Funda, zona oeste da capital, a principal dica é ficar atento ao período correto da troca do filtro do aparelho. (não leve em conta os preços sugeridos pois eles dependendo da região no Brasil e do sistema de ar-condicionado utilizado, podem variar)





“A prática purifica o ar que circula na cabine”, afirma Cardoso. Segundo ele, o período ideal para efetuar a troca do filtro, serviço pelo qual cobra de R$ 80 a R$ 300, é de seis em seis meses. Já Hélio Romero, da Friovel, na Vila Mariana, zona sul, recomenda a substituição do filtro a cada um ano e meio. Entretanto, esta deve ser efetuada junto com a manutenção preventiva, que inclui também higienização do aparelho. Por este serviço, cujo principal objetivo é eliminar o mau cheiro gerado pelo aparelho, a Friovel cobra cerca de R$ 50. A oficina também pede R$ 50 pela troca do filtro.

Ainda de acordo com Hélio Romero, outra dica importante é a revisão do ar-condicionado, que checa as condições de itens como mangueira e corrente, além da parte elétrica do aparelho. “Recomendamos a prática da revisão a cada oito meses”, afirma. Já o gerente da Auto-Life, diz que é recomendável passar de três em três meses na oficina, para examinar, principalmente, o estado do filtro do ar-condicionado. “É necessário também checar a carga de gás do aparelho. Ela costuma durar até três anos em veículos novos, mas tem período de vida mais curto em modelos antigos”, diz.

Pelo serviço de troca da carga de gás, a Auto-Life cobra cerca de R$ 150. Já a Mega-Ar, no Tatuapé, pede R$ 110. Se o proprietário do veículo pretende visitar as oficinas com menor freqüência do que o recomendado, uma dica importante é manter o ar-condicionado sempre funcionando. “È necessário ligar o aparelho uma vez por semana, por pelo menos cinco minutos”, diz Natailton Machado, gerente da Mega-Ar.

A Auto-Life por sua vez recomenda que a prática seja efetuada uma vez por semana, mas com o aparelho ligado de 10 a 20 minutos. “Se o ar-condicionado estiver sempre funcionando, haverá lubrificação das mangueiras internas, o que é bom para o funcionamento adequado do equipamento”, diz Hélio Romero, da Friovel. Outra dica importante é não acionar no motor com o sistema ligado. “A partida no propulsor envia uma corrente de ar para o ar-condicionado, que pode queimar o fusível e, em casos mais graves, até mesmo o módulo do aparelho”, diz Machado.

Fonte: http://carsale.uol.com.br/

20/06/2006

Ar Condicionado

A HDS não efetua venda direta ao consumidor!
Top of page Top
Desenvolvido por iGRO