Produtos Veículos
ORÇAMENTO0 produtos

Notícias automotivas


COMPARTILHE

QR Code

Visualize em seu smartphone, tablet ou dispositivo móvel com a leitura do QR Code.


Dúvidas? Entre em Contato

PEÇAS QUE NÃO SAEM DA OFICINA

T- T T+

WebMotors – Um dos maiores objetivos de um centro de pesquisa como o CESVI é proporcionar embasamento técnico para as atividades do mercado de seguros. Um dos estudos realizados pelo centro brasileiro com esta finalidade é o CAR Group, um índice que classifica modelos de veículos de uma mesma categoria de acordo com o custo e a facilidade de reparo.

Este estudo criou referências entre a imprensa especializada, as seguradoras, montadoras e o consumidor, auxiliando na comparação entre modelos semelhantes de veículos. Entretanto, antes mesmo do lançamento desse índice, o CESVI já levava ao mercado um estudo chamado “pacote básico de peças”.

Com dados de sinistros informados pelas seguradoras, são levantadas as 15 peças danificadas com maior frequência em colisões de trânsito. Assim, é possível criar um comparativo com a soma dos preços destas peças e, consequentemente, maior custo de reparação.

Foi com o apoio de ferramentas internas que o CESVI levantou informações sobre a relação das peças com um sinistro: quais as que mais exigem substituição, qual área do veículo é mais afetada, quais as peças de maior custo. Confira a seguir.

O que danifica mais, dianteira ou traseira?

O CESVI e outros centros de pesquisa ao redor do planeta, em seus estudos de reparabilidade, sempre apresentaram a ponderação que 75% dos custos dos impactos eram referentes a danos na dianteira, ficando 25% de danos na traseira. Estes números se provam na prática, pois, se separarmos a tabela de peças mais danificadas em duas categorias –
dianteiras e traseiras –, obteremos a seguinte relação:

Peças dianteiras

1 Para-choque dianteiro
2 Capô
3 Conjunto óptico dianteiro esquerdo
4 Conjunto óptico dianteiro direito
5 Grade dianteira
6 Logotipo dianteiro
7 Travessa de reforço dianteira
8 Painel dianteiro completo
9 Para-lama dianteiro esquerdo
10 Para-lama dianteiro direito
11 Radiador
12 Suporte do para-choque dianteiro - lado esquerdo
13 Suporte do para-choque dianteiro - lado direito
14 Absorvedor de impacto dianteiro
15 Defletores do radiador
16 Grade do para-choque
17 Para-barro dianteiro esquerdo
18 Trinco do capô
19 Para-barro dianteiro direito

Peças dianteiras

20 Friso do para-choque dianteiro
21 Guarnição do para-brisa
22 Friso da porta dianteira esquerda
23 Para-brisa colado
24 Porta dianteira esquerda
25 Friso da porta dianteira direita
26 Porta dianteira direita
27 Condensador

Peças traseiras

1 Para-choque traseiro
2 Emblema traseiro direito
3 Emblema traseiro esquerdo
4 Logotipo traseiro
5 Lanterna traseira esquerda
6 Lanterna traseira direita
7 Painel traseiro
8 Tampa traseira

Relação entre as 10 mais

Pode-se observar que, nesta amostra de 1 milhão de veículos sinistrados, o para-choque dianteiro é a peça mais substituída, chegando a um valor próximo a 300 mil peças substituídas no período.

Se utilizarmos o valor médio de R$ 350 para um para-choque dianteiro e multiplicarmos pelos 297.589 que foram substituídos, chegaremos a um valor médio de R$ 104.156.150 gastos pelo mercado com a troca destas peças.
18/01/2010

Ar Condicionado

A HDS não efetua venda direta ao consumidor!
Top of page Top
Desenvolvido por iGRO